Hálito Gelado

Da morte.

A morte que respira em sua nuca

Desde o dia em que você respirou

O medo que transpira em sua testa

Desde o dia em que você chorou

A ameaça velada que te acompanha

A foice que espera em campanha

Um descuido, um passo em falso, um acaso…

É com isso que você vive, irmão

E com o que eu também vivo

E não é porque não a vejo

Que não a sinto.

.

.


.

 

Na IBM, 05/25, ao saber que uma colega havia morrido. Fiquei sensível. 16h30

Anúncios

Um comentário em “Hálito Gelado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s